Acordo de cooperação entre o BC e a Fundação Lemann promove ações de cidadania financeira


A parceria articulará a criação de agendas comuns. O primeiro projeto do acordo fomentará o desenvolvimento de aplicativos a partir de dados abertos.


Com o objetivo de unir esforços para a realização de atividades e projetos em conjunto na área de cidadania financeira, o Banco Central (BC) assinou com a Fundação Lemann um acordo de cooperação técnica, no dia 26. A parceria abrange ações de inclusão financeira, educação financeira e proteção ao consumidor de serviços financeiros, além de elaboração e implementação de conteúdos e materiais para o aprimoramento de políticas públicas. O primeiro projeto a ser realizado será um concurso para o desenvolvimento de aplicativos de uso social e prático para o dia a dia. A ideia é que esses aplicativos ajudem o cidadão a explorar os dados disponíveis no Portal de Dados Abertos do BC, e, dessa forma, ampliar a divulgação e o uso das 2.973 bases de dados abertos que o BC disponibiliza. “Atualmente o portal de dados abertos do Governo Federal conta com 4.742 bases de dados abertos, sendo o BC responsável por 62,7% delas, ou seja, somos maioria absoluta. O intuito desse acordo é ampliar o compartilhamento e o uso dessas informações, favorecendo a cultura da transparência pública”, explica Aloisio Tupinamba, Ouvidor do BC. De acordo com o diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Isaac Sidney, que assinou o acordo com Denis Mizne, da Fundação Lemann, transformar as bases de dados em aplicativos de uso social facilita o acesso do cidadão às informações de interesse público. “Temos no Portal de Dados Abertos informações valiosas para a sociedade, como tarifas e taxas de juros das instituições financeiras, o ranking dos bancos mais reclamados, entre outras. Mas, às vezes, essas informações são de difícil manuseio para o cidadão comum. Os aplicativos vêm justamente suprir essa lacuna, já que possuem uma linguagem mais amigável e acessível”, avalia. O aplicativo, segundo ele, reduz o tempo para o acesso às informações e disponibiliza os dados de forma moderna, simples e transparente. O diretor lembra que a realização do concurso está prevista ainda para o primeiro semestre deste ano.

A Fundação Lemann tem histórico de envolvimento com iniciativas que promovem a criação de tecnologias que facilitam o uso de bases de dados. No passado já realizou hackathons em parceria com órgãos públicos, como o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Atualmente apoia o QEdu, plataforma que sistematiza e facilita o acesso a dados públicos de educação. O acordo de cooperação tem vigência de três anos e não gera qualquer compromisso de repasse de recursos financeiros entre as partes, ficando cada qual responsável por custear as ações sob a sua responsabilidade. Tecnologia Em janeiro, o BC esteve presente na 11ª edição da Campus Party Brasil, em São Paulo, para apresentar o Portal de Dados Abertos da instituição e falar sobre a importância e as oportunidades da exploração de informações que são de domínio público. Na apresentação, intitulada Já pensou em se tornar um hacker cívico?, foram destacadas maneiras de utilizar os dados abertos a fim de fortalecer a cidadania financeira no Brasil.


Fonte: http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/c/noticias/229

Posts em destaque
Últimas publicações
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle